APAs - laboram sob condições de altíssima periculosidade

ASPERGS iniciando o ano de 2024 na luta pelos direitos e condições seguras de trabalho aos seus associados.


 


Na tarde da sexta-feira, 05/01/2024, o Presidente da ASPERGS – Cristiano Marasco, protocolou Ofício no gabinete do Procurador Geral do Estado, encaminhando fotos de uma ação criminosa ocorrida no Presidio Regional de Pelotas, aonde um veículo utilizado para arremesso de objetos para o interior do estabelecimento, perdeu o controle colidindo contra a parte inferior da Secretaria daquele estabelecimento prisional, ocorrendo, inclusive, disparos de armas de fogo, no período diurno, bem próximo ao portão de entrada dos servidores.


 


Fatos como esses mostram que o profissional Agente Penitenciário Administrativo atua sob condições de altíssima periculosidade, com iminente risco de vida.


 


Nesse sentido, o porte de armas e o colete balístico devem ser fornecidos pela Instituição.


 


É inaceitável que os APAS continuem trabalhando expostos a qualquer sorte, sem o fornecimento adequado de equipamento de proteção e com regras previdenciárias regidas pelas normas gerais.